PORT | ENG

Fórum da Liberdade Insights

saulo.jpg

Startup

Saulo Kulkes, empresário e Associado do IEE 

Empresas startup são empresas jovens e extremamente inovadoras que atuam em toda e qualquer área ou ramo de atividade, procurando desenvolver um modelo de negócio escalável e repetível.

O modelo de negócio de uma empresa é o formato que ela utiliza para gerar valor para seu cliente. Já um modelo de negócio escalável e repetível significa que, por meio de seu modelo de negócio, a empresa vai conseguir atingir o mercado de forma global, alcançando o maior número possível de clientes, sem aumento significativo dos custos.

Contudo, o termo startup para designar empresas recém-criadas e rentáveis começou a ser popularizado nos anos 1990, quando houve a primeira grande bolha da internet. Muitos empreendedores com ideias inovadoras e promissoras, principalmente associadas à tecnologia, encontraram financiamento para os seus projetos, que se mostraram extremamente lucrativos e sustentáveis.

Tais financiamento, atualmente, são concedidos pelos denominados investidores-anjos, que se caracterizam por serem empresários ou ex-empresários que tiveram uma carreira de sucesso e que assim conseguiram acumular quantia suficiente para investir em empresas que estão iniciando. Além do investir, os investidores-anjos dão suporte a essas empresas com seu conhecimento e sua experiência. Cabe salientar ainda que tais investidores normalmente possuem uma porcentagem pequena do negócio, não atuam na gestão da empresa e sempre buscam investir seu capital em uma companhia com alto potencial de retorno, ou seja, escalável e repetível.

O Brasil não fica para trás nesse mundo de startups, já que, segundo a última pesquisa realizada pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), publicada no Brasil pelo SEBRAE, a taxa de empreendedorismo da população adulta brasileira atualmente é de 40%, contra 20% de dez anos atrás, o que apresenta uma mudança da cultura de busca por emprego para busca do negócio próprio. Também foi constatado que atualmente 70% dos empreendimentos no Brasil são criados por oportunidade, e não mais por necessidade (que ocorria quando o indivíduo perdia o trabalho fixo e, sem perspectiva de recolocação, abria sua empresa). Em 2002, esse índice era de 42%. Foi ainda apurado que a cidade brasileira de São Paulo está entre as 15 cidades com mais startups no mundo inteiro.

Os dados acima citados comprovam o espírito empreendedor do brasileiro, pois mesmo com toda a ineficiência estatal, a alta carga tributária e uma burocracia desalentadora, o número de empreendedores segue crescendo, demonstrando que a capacidade de desenvolvimento do país está nas mãos desses empreendedores, que, mesmo com todos os empecilhos impostos pelo governo, continuam gerando valor para a sociedade.