PORT | ENG

Fórum da Liberdade Insights

Renata.jpg

Empreendedorismo no Brasil

Renata Frare, administradora e diretora do Fórum da Liberdade

O sonho de ter o próprio negócio faz parte da vida de milhões de brasileiros. Estima-se que, atualmente, os jovens prefiram criar um negócio próprio em vez de estabelecer carreira em uma organização. O termo empreender tem origem na palavra francesa “entrepreneur”, que era usada para definir pessoas que estimulavam o progresso econômico. Segundo o dicionário de língua portuguesa Priberam, a palavra empreendedorismo significa “Atitude de quem, por iniciativa própria, realiza ações ou idealiza novos métodos com o objetivo de desenvolver e dinamizar serviços, produtos ou quaisquer atividades de organização e administração”. No entanto, empreender é muito mais do que desenvolver novas atividades; significa gerar negócios e oportunidades na sociedade em que atua. O empreendedorismo é essencial para a sociedade, pois é por meio dele que acontece a geração de riquezas do país.

Segundo uma pesquisa realizada pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), o Brasil ocupa o quarto lugar em uma lista de 67 países com maior número de empreendedores. Nós, brasileiros, temos motivos para nos orgulhar, pois, apesar de todas as dificuldades e obstáculos existentes no Brasil, estamos entre os cinco países mais empreendedores do mundo.

Vivemos em uma nação repleta de oportunidades, com riquezas naturais e em franco desenvolvimento econômico e estrutural; no entanto, nosso governo em nada favorece o crescimento econômico e a implementação de novos negócios. Olhando para o passado, o empreendedorismo começou a se desenvolver no Brasil a partir da década de 1990, durante a abertura da economia. Porém, com o passar dos anos, a entrada de produtos importados fez com que similares nacionais desaparecessem do mercado, uma vez que não conseguiam competir. Ao invés de o governo baixar impostos e tornar a infraestrutura do país melhor e mais competitiva, resolveu taxar com alta carga tributária produtos vindos de outros países, e dessa forma deu início a um círculo que continua até hoje: impostos elevados para a indústria nacional e impostos impraticáveis para produtos importados.

Abrir uma empresa no Brasil leva aproximadamente seis meses, enquanto em países economicamente desenvolvidos o tempo máximo chega a seis dias. Quando comparamos com os BRICS, o Brasil ocupa o último lugar.

É admirável que, em um cenário com tantas dificuldades, tenhamos tantos empreendedores. É preciso lutar por um ambiente mais favorável ao desenvolvimento de novos negócios e novas tecnologias.  Poderíamos ter um Vale do Silício no Brasil, bem como tantos outros produtos e serviços inovadores que vemos em outros países.

Para discutir essas e outras questões, sobre esse tema tão importante para o desenvolvimento do país, a presente edição do Fórum da Liberdade Insights traz artigos de associados do IEE com o objetivo de estimular um debate de ideias a fim de que possamos criar um ambiente de negócios mais liberal e propenso ao empreendedorismo.

Uma ótima leitura a todos!